Criada em 1957 por António Barata, que seria várias vezes detido por vender livros proibidos pelo regime, a Livraria Barata começa agora uma nova vida aliada à Fnac, numa parceria promovida pela Câmara Municipal de Lisboa (CML) no âmbito do programa Lojas com História.

“Numa altura em que as livrarias tradicionais enfrentam um grave período de crise, a Fnac, desafiada pela Câmara Municipal de Lisboa, juntou-se a uma iniciativa tripartida com o objectivo de preservar o património cultural e de cidadania da Livraria Barata”, diz um comunicado enviado ao PÚBLICO.

Leia a notícia completa no link